Sobre o Movimento Popular INCLUA-SE

Minha foto
São Caetano do Sul, Região do ABCD /São Paulo, Brazil
Não sabemos o que somos e sim o que NÃO somos! Não somos uma organização não governamental sem fins e muito menos com fins lucrativos (ONGs); Não somos um INSTITUTO; Não somos uma INSTITUIÇÃO nem pertencemos a uma; Não somos de CONSELHOS nem representamos segmentos. Não defendemos bandeiras PARTIDÁRIAS. Sendo assim, somos ILEGÍTIMOS aos olhos dos Poderes Constituídos!

Lixeiras sobre as calçadas podem ser um perigo!


A Barreira Atitudinal é a mais difícil de ser combatida, erradicada, pois é necessário que a sociedade entenda e respeite as diferenças. Dela derivam as demais barreiras como a arquitetônica, a comunicacional, a instrumental, a metodológica e a programática.    

 “As barreiras atitudinais, porém, nem sempre são intencionais ou percebidas. Por assim dizer, o maior problema das barreiras atitudinais está em não as removermos, assim que são detectadas.” (Francisco Lima, 2008).



Postado em 22.07.2011


Quem já topou com as imperceptíveis lixeiras suspensas acopladas nos portões das residências (já topei com as das imagens), certamente irá compreender o perigo que estes objetos podem ocasionar às pessoas com deficiência visual.


Rua Marlene - Nova Gerti. Imagens Tuca Monteiro.
Rua Bezerra de Menezes - Nova Gerti. Imagem Tuca Monteiro.
Rua Prates - Olímpico. Imagem Tuca Monteiro.

Tenho dito insistentemente neste blog que pessoas que fazem uso da bengala longa costumam se orientar pelo alinhamento das edificações; portanto, segundo o bom-senso, esse alinhamento deve estar livre de qualquer objeto: ainda mais objetos suspensos, como essas lixeiras que  geralmente estão na altura do rosto ou do peito da pessoa. Certamente um perigo para muitos pedestres.

Obs. As Prefeituras deveriam PROIBIR  este tipo de lixeira!

 Outro exemplo de lixeiras são as suspensas por pilastra: são as mais comuns de virmos pelas cidades.  O problema destas lixeiras é que os munícipes costumam colocá-las rentes ao alinhamento das edificações (muro), e isso também causa transtornos ao pedestre, principalmente às pessoas que fazem uso da bengala longa (cegas), pois também não detectarão com a mesma o volume suspenso (a lixeira propriamente dita).
 
Rua Marlene - Nova Gerti. Imagens Tuca Monteiro.

E as lixeiras possuem quinas pontiagudas! Pensem nas pessoas idosas que geralmente possuem baixa visão e  pele fina colidirem com uma lixeira: poderá causar ferimentos graves.


Imagem de Tuca Monteiro.


Esses mobiliários urbanos deveriam ter quinas arredondadas! 

Como essa lixeira desenvolvida para o projeto Calçada Consciente


 Fonte: http://www.piramideengenharia.com.br/calcada_consciente.pdf


Munícipes: Lixeiras devem estar sempre próximas à guia, na faixa de serviço, nunca encostadas no muro!

Lembrando que a faixa de serviço deveria ter  textura  e cor  de piso diferenciados da área de passeio, mas aqui em São Caetano do Sul - SP não há nenhuma lei que estabeleça esse padrão de calçamento. E na sua cidade, caro(a) leitor(a), há algo neste sentido?


Rua Francesco de Martini - Olímpico. Imagens Tuca Monteiro.

 Obs. Segundo a norma técnica NBR 9050-04:
"(...) obstáculos suspensos entre 0,60 m e 2,10 m de altura do piso acabado, que tenham o volume maior na parte superior do que na base, devem ser sinalizados com piso tátil de alerta. A superfície a ser sinalizada deve exceder em 0,60 m a projeção do obstáculo, em toda a superfície ou somente no perímetro desta,(...)"

Imagem de Tuca Monteiro.


 Saiba que: 

Mesmo não havendo um Código de Postura Municipal ou uma outra  lei municipal que regule o uso deste espaço público denominado de calçada em seu munícipio,  o Decreto Federal 5296-04 e a norma técnica NBR 9050-04 cumprem este papel! Portanto, exerça sua cidadania e exija da administração pública da sua cidade a fiscalização sobre este mobiliário urbano. Outro caminho, caso não consiga êxito junto a administração pública, é encaminhar o caso ao Ministério Público da sua cidade.

Vamos eliminar essa barreira de atitude!

Tuca Monteiro.



  Anterior                                 Próxima



17 comentários:

  1. Em 2000 pedi ao Gabinete do ex-Vereador Horácio Neto (então no PT, hoje no PSOL) que elaborassem uma lei para disciplinar a instalação de lixeiras. Parecia-me lógico que lixeiras deveriam ser instaladas junto às guias - mesmo porque facilita o trabalho dos coletores - e nunca rente a portões, pois decerto levam a risco a integridade física de pedestres que enxerguem ou não. Pedi que se preocupassem, também, com a cor da mesma: cor contrastante e fosforescente. Não sei porque cargas d'água não apresentaram o projeto.
    Muito bem observado, querida Tuca!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Estava procurando algo relacionado...
    Hoje no caminho ao trabalho 7:00 +/- tive o infortúnio de esbarrar minha cabeça em uma dessas lixeiras suspensas. Na hora me deu uma tontura pensei que fosse cair.
    Já são 22:09 e ainda dói muito. Estou pensando em conversar com a dona da casa para que troque a lixeira.
    Isso pq foi um momento de distração (um acidente) pois eu não vi a lixeira a +/- 1,67m de altura da calçada de cor preta.
    Agora imagine um idoso.
    Ou então até mesmo uma pessoa com deficiência visual munida "daquela vara tatil" (não me lembro o nome) ela não conseguirá sentir que existe algo na altura de sua cabeça até colidir contra ela.
    Em fim não sei para que inventaram isso

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Nicole seja bem-vinda ao Inclua-se!.

    Leve a questão à administração municipal de sua cidade ou a Câmara Legislativa. Verifique se há um código de postura municipal que regule o uso do espaço publico, e se há proibição quanto às lixeiras suspensas. Caso não haja, faça uso do Decreto Federal citado na postagem e a norma técnica 9050-04 para modificar essa realidade.

    As pessoas cegas utilizam a bengala longa.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite!
    Vou enviar a vocês umas fotos que tirei relativas a uma dessas lixeiras. Ela está na recém reformada Av.Tijucussu em frente ao Colégio Profa Yolanda Ascencio.
    É perigosa a todas as pessoas tenham ou não deficiência...
    Caminho por várias ruas de São Caetano do Sul e sempre preciso trocar as calçadas pelas ruas, pois os obstáculos são imensos, quando não totalmente intransponíveis, são degraus, muretas e pisos escorregadios.
    Na mesma avenida tem vários trechos com bifurcações e pracinhas totalmente sem calçada e neste caso sem opção... ou é se pisa na grama ou vai pela rua mesmo.
    Muito legal o trabalho de vocês!
    Parabéns a todos e em especial ao meu amigo Amilcar,um cara muito bacana e que eu adoro!
    Abraços. Sandra

    ResponderExcluir
  5. Fomos assistir ao espetáculo “A Tempestade” no domingo e passamos pela av. “Tijucuçu” (tupi). Avistamos uma lixeira e um hidrante na calçada em frente à rotatória - dois obstáculos perigosos! A calçada praticamente sumiu neste trecho. Nossas observações foram semelhantes a sua, Sandra! É evidente que o pedestre não fora contemplado na reforma.

    AH, e a avenida agora é um PARQUE! Parque Linear Nova Tijucussu rsrsrs. E viva a qualidade e seriedade do Programa Estadual Município Verde-Azul!

    Agradecemos pela participação.

    ResponderExcluir
  6. Ninguem comentou que lixeiras coladas ao muro são ESCADAS para ladrão!!

    ResponderExcluir
  7. Comprei uma lixeira recentemente, e estava procurando informação sobre a distância correta pra colocar na calçada, apesar de não ser uma região movimentada farei conforme as orientações, vlw

    ResponderExcluir
  8. Comprei uma lixeira recentemente, e estava procurando informação sobre a distância correta pra colocar na calçada, apesar de não ser uma região movimentada farei conforme as orientações, vlw

    ResponderExcluir
  9. Comprei uma lixeira recentemente, e estava procurando informação sobre a distância correta pra colocar na calçada, apesar de não ser uma região movimentada farei conforme as orientações, vlw

    ResponderExcluir
  10. Alguém sabe aonde encontrar esta lixeira apresentada acima? Ou somente pedindo para fazer?

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Quando decidimos fazer uso da lixeira, pensamos na segurança das pessoas que porventura precisassem utilizar o passeio. Queríamos algo sustentável e que não representasse um perigo real para o pedestre, como pontas de metal e material enferrujado. Optamos por um bojo de máquina de lavar roupas, que é revestido em alumínio e geralmente é descartado no meio ambiente, pode ser facilmente encontrado em loja que conserta eletrodoméstico e adaptamos um suporte para deixá-la suspensa. Achei interessante a ideia do piso tátil e vou adaptá-la no meu passeio.

    ResponderExcluir
  14. Fiquei muito interessado nesta lixeira branca de formato arredondada que faz parte do projeto consciente mais é impossivel encontrar informações sobre essa lixeia. Só tem mesmo a fotografia e nada mais. Já vasculhei o gogle atras de ver se encontro o fornecedor que parece ser de Goiania e não encontro nada. Se alguém tiver alguma informação por gentileza que me informe aqui mesmo. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Dia Antonio. Realmente não existe esta lixeira pronta. Eu tive que levar a foto até um serralheiro e decidimos a medida dela. Aqui em Minas custou R$150 e fiz ela com a chapa bem grossa e resistente. Ela ficou bem parecida com a foto e pelos valores de lixeiras prontas em várias lojas na minha cidade ela saiu bem barata.

      Excluir
  15. Estava lendo esse artigo sobre a obrigariedade de instalação das lixeiras suspensas na cidade de Campos-RJ, já aqui na capital de João Pessoa-PB, é proibida pelo Ministério Público a instalação dessas lixeiras por causar acidentes com pessoas que possuem deficiência visual.

    ResponderExcluir